ENTRESSEIO

s.m. 1-vão, cavidade, depressão. 2-espaço ou intervalo entre duas elevações. HUMOR, CURIOSIDADES, UTILIDADES, INUTILIDADES, NOTÍCIAS SOBRE CONSERVAÇÃO E RESTAURO DE BENS CULTURAIS, AQUELA NOTÍCIA QUE INTERESSA A VOCÊ E NÃO ESTÁ NO JORNAL QUE VOCÊ COSTUMA LER, E NEM DÁ NA GLOBO. E PRINCIPALMENTE UM CHUTE NOS FUNDILHOS DE NOSSOS POLÍTICOS SAFADOS, SEMPRE QUE MERECEREM (E ESTÃO SEMPRE MERECENDO)

29 junho, 2011

PODE CRER, É VERDADE! - 29-6-11

Parece a fofinha!

Saiba o significado e a origem de algumas metáforas usadas até hoje
Até hoje falamos em coisas tais como “botar pilha” e “fazer um papelão”, e de tão cotidianamente estão enraizados usos e costumes antigos, que não nos damos conta da sua origem. Além disto, os representantes das novas gerações não chegaram a vivenciar artefatos tais como bonde, gancho de telefone, filme, disco, carburador, ficha, etc. Fato que não os impede de repetirem velhas expressões nascidas de metáforas construídas a partir de objetos obsoletos, sem terem a mínima ideia do seu real significado.
1) Pegou o bonde andando.
Significado: numa reunião, diz-se do sujeito que chega atrasado e começa a dar pitaco, sem se inteirar do que foi discutido anteriormente.
Origem: muito antigamente antes da popularização do famigerado busão, o transporte coletivo era feito por bondes com carroceria aberta, o que tornava possível pegá-los na corrida.
2) Colocar o fone no gancho.
Significado: encerrar uma conversação telefônica.
Origem: acredite, os telefones antigos eram de parede e tinham um gancho onde o auricular fica dependurado.
3) Botar/tirar o pé na tábua.
Significado: imprimir grande velocidade no veículo, acelerar bastante, ou maneirar.
Origem: tal expressão nasceu aproximadamente nos 20, ou 30. Naquele tempo, tanto os assoalhos quanto o pedal do acelerador eram feitos de madeira. Ora, para se conseguir imprimir alguma velocidade, era necessário afundar totalmente o pedal até o fundo fazendo com que sapato batesse na madeira.
4) À socapa.
Significado: perfazer uma ação às escondidas, “por debaixo dos panos”, como os políticos adoram fazer quando legislam em causa própria.
Origem: como as pessoas costumavam usar capas até o século XIX, o que se fazia embaixo delas era invisível. Curiosamente, o hábito da capa voltou com tudo entre os viciados em crack, ou seja, eles fumam à socapa e ao arrepio da lei.
À socapa, quer dizer, na moita.
5) Veio a calhar.
Significado: quando se sucede uma situação boa e propícia.
Origem: antes da proliferação dos portos, os navios procuravam locais seguros para fundear. O local ideal tinha que ser em formato de calha, pois ao invés de calharem, eles encalhavam. Até os dias de hoje há na ilha dos Açores um destes portos primitivos chamado Calheta.
6) Caiu a ficha.
Significado: diz-se da pessoa que termina entendendo alguma coisa.
Origem: antigamente havia cabines telefônicas públicas chamadas orelhões que funcionavam através de fichas metálicas enfiadas nos orifícios próprios para isto.
Fichas telefônicas.
7) Queimou o filme.
Significado: passar por situações vexatórias que demandam arrependimentos futuros.
Origem: antigamente a fotografia era registrada em filme fotossensível e quando havia “vazamento” de luz sobre ele, constatava-se que ele ficava enegrecido, ou seja, as fotos ficavam perdidas.
8) Dar um rolê.
Significado: sair para dar uma volta, espairecer.
Origem: expressão advinda do vocábulo francês rôle, que significa mais precisamente uma folha enrolada contendo algo escrito.
Descolonizando o imaginário, por Alfredo Naffah Neto.
9) Ficar bem na fita, sair bem na foto.
Significado: situações da vida em que a pessoa se dá bem.
Origem: quando não havia a tecnologia fotográfica digital, as cenas familiares eram registradas em filmes fotográficos e películas de câmeras de oito milímetros. Como eram recursos caros, as pessoas se produziam cuidadosamente antes de serem filmadas/fotografadas.
Super 8
10) Virar o disco.
Significado: trocar o assunto, interromper uma ladainha psicológica.
Origem: antes da era do som digital, as músicas eram gravadas em discos de vinil com dois lados. Então, você tinha que necessariamente se levantar para virar o disco, se quisesse ouvir os 25 minutos restantes.
Jovem Guarda 45 anos de eterna juventude.
11) Chegou agora é já quer sentar na janela.
Significado: mal o mané chega e já quer escolher o melhor lugar.
Origem: no tempo em que o transporte urbano era um caos e as pessoas andavam em ônibus entupidos, alguns voluntariosos exigiam tratamento vip.
12) Encher a cuba.
Significado: aumentar bastante o giro do motor do carro antes de enfrentar uma subida.
Origem: antigamente, a peça responsável pela transformação da gasolina em vapor era o carburador, que tinha um compartimento dotado de boia onde o combustível ficava armazenado, que era chamado de cuba.
13) Trenzinho da alegria.
Significado: diz-se de uma reunião de políticos que se dá na calada da noite para sacramentar privilégios próprios e/ou de apadrinhados.
Origem: reminiscências da época em que o transporte coletivo básico era o trem e as pessoas viviam contentes com este tipo de meio de transporte.
Conta Outra

Nova York proíbe enterros de humanos em cemitério de animais
 

Divisão de Cemitérios proibiu que donos sejam enterrados junto a bichos.
'Eu não tenho mais paz', diz mulher que queria ser enterrada com seus cães.
Uma agência estatal determinou ao cemitério de animais de Nova York para parar de enterrar cinzas de donos ao lado das covas de seus amados gatos, cachorros e pássaros.
A decisão da Divisão de Cemitérios de Nova York ocorreu após um número cada vez maior de americanos decidirem dividir sua última morada com seus bichos de estimação. A nova regra já impediu pelo menos um enterro no cemitério de animais Hartsdale, considerado o mais antigo do país, com 115 anos.
O diretor do Cemitério de Animais Hartsdale , Ed Martin Jr. (Foto: AP)
A notícia deixou indignada Rhona Levy, uma moradora do Bronx, que havia planejado ter suas cinzas enterradas ao lado da cova dos seus cinco bichos, quatro deles já enterrados no local.
“De repente, eu não tenho mais paz”, disse a americana de 61 anos, que acredita que a decisão pode ser revista. “Você quer estar com as pessoas mais próximas a você, as mais amadas. As únicas que eu tenho em minha vida agora são meus animais de estimação, que eu considero meus filhos.”
O professor de direito Taylor York disse que a decisão do estado agravou o sofrimento de sua família após a morte de seu tio Thomas Ryan, em abril.
A esposa dele, Bunny, e seus dois cachorros, BJ I e BJ II, foram enterrados em Hartsdale. Ryan desejava ser enterrado junto a eles, segundo York. Há ainda um espaço para BJ III, que ainda está vivo. Mas as cinzas do tio continuam guardadas na casa da irmã porque a nova regra não permite o enterro no cemitério de animais.
“Minha mãe está completamente perturbada com isso. Ela chora cada vez que toca no assunto. Depois de ver seu irmão morrer, agora tem que lidar com essa insanidade?”, questiona o professor.
Segundo a Divisão de Cemitérios de Nova York, qualquer cemitério que ofereça enterros para pessoas deve ser operado como uma organização sem fins lucrativos. Ao fazer o serviço no local e cobrar uma taxa – US$ 235 para abrir uma nova cova e depositar as cinzas – o Hartsdale estava violando leis governamentais para organizações sem fins lucrativos.
Mas para o diretor do cemitério, Ed Martin Jr., o local é uma entidade privada e no próximo site da agência estatal diz que cemitérios privados não são submetidos à mesma jurisdição.
"É ridículo que nós não possamos mais fazer [os enterros de humanos]", disse Martin. "Por enquanto, os enterros de pessoas estão suspensos, mas a nossa posição é de que eles não têm autorização para isso."
Localizado a 20 km de Manhattan, o cemitério tem cerca de 700 pessoas enterradas e 75 mil animais.
AP

Maluco é flagrado em penhasco gigante pescando
 

Um homem se arriscou e foi flagrado pescando na borda de um penhasco de 45 metros próximo a Downpatrick, na Irlanda Norte. Segundo reportagem do jornal inglês "Daily Mail", as rajadas de vento no local chegavam a mais de 100 km/h. Após colocar sua vida em risco, o pescador conseguiu fisgar cinco pequenos peixes.
Conta Outra

Marcadores: , ,

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial